Influenciadora ateia anuncia conversão ao catolicismo

Francisco Vêneto, In Aleteia 07/12/21

"A ideia da minha morte me deixava apavorada. O que sempre ocupou minha mente foi a pergunta: e se eu estiver errada?"

A influenciadora ateia norte-americana Kaitlin Bennett anunciou oficialmente a sua conversão ao catolicismo. Conhecida nas redes sociais pelas entrevistas que faz aos alunos em universidades, ela tem mais de 600 mil inscritos em seu canal Liberty Hangout, no YouTube, além de 227 mil seguidores no Instagram.

A jovem de 26 anos já se identificava com a causa pró-vida, que defendia nas redes sociais, mas ainda enfrentava grandes dilemas no tocante à fé em Deus. Ao longo de um vídeo de pouco mais de 10 minutos, ela falou do vazio que o ateísmo lhe trouxe e relatou um pouco da sua trajetória de descoberta de Deus.

Falando para seus ouvintes ao lado de uma imagem de Nossa Senhora e usando um exemplar da Medalha Milagrosa, Kaitlin testemunhou:

“Muitos de vocês podem ficar surpresos ao ouvirem isto, mas, durante os últimos três anos em que vocês assistiram aos meus vídeos, eu era ateia. Só que isto mudou e eu quero ser honesta com vocês. Ser ateia não é do jeito que a maioria das pessoas acha que é – pelo menos não era para mim. Ser ateia foi uma das coisas mais difíceis que eu já enfrentei. E isso durou mais de uma década”.

Ela prosseguiu, falando de um dos elementos motivadores da sua conversão ao catolicismo:

“Por ser tão ignorante e desinformada, eu tinha medo do que significaria ir para o inferno. O meu maior medo era o de morrer. A ideia da minha morte me deixava apavorada. Eu vivia só mesmo para ser enterrada? O que sempre ocupou a minha mente foi a pergunta: e se eu estiver errada?”.

A jovem falou então de pontos importantíssimos que já tinha em comum com a doutrina católica, tais como a rejeição ao aborto e a defesa da sacralidade da vida humana. Ela também testemunhou que o marido católico foi de grande relevância para a sua conversão.

A propósito de Deus, ela afirmou:

“Se eu realmente acredito que Deus não existe, por que tenho tanta vergonha de dizer isso em voz alta? É porque a verdade sobre Deus, Jesus e a nossa criação está inscrita em nosso coração (…) e é tão óbvia se simplesmente a buscarmos!”.

Kaitlin convidou seus seguidores:

“Comecem rezando juntos todos os dias, como família, garantindo que Cristo seja o primeiro na sua casa. Criar tradições que perduram décadas na sua vida adulta e na sua família garante que eles nunca tenham que ir dormir angustiados com a vida eterna. Eu queria ter descoberto a verdade mais cedo, mas tenho a honra de saber que, mesmo uma pecadora como eu, nunca foi esquecida por Deus”.

Publicado em 2021-12-12

Notícias relacionadas

«O Estado Novo [ainda] não saiu de Portugal»

Mário Pinto, in Observador - 30 jul 2022

Se as valas comuns eram uma farsa, por que o Papa está pedindo desculpas no Canadá?

Francisco Vêneto - publicado em 26/07/22, in Aleteia

Abusos sexuais, estado de direito e “caça às bruxas”

Pedro Vaz Patto, Presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz

O Estado e o catecismo da religião do género

Senhor ministro da Educação, se não quer ficar na história como o Inquisidor da propaganda de género, desbloqueie este nó górdio por si criado pois tem no Parlamento uma maioria do seu partido.

“Finalmente encontrei um cristão de verdade!”

Isabel Ricardo Pereira, In 7Margens, 6.07.2022

"Direito constitucional" ao aborto?

Jorge Bacelar Gouveia

desenvolvido por aznegocios.pt