Carta de António Costa aos Coríntios portugueses

António Costa olhou para a Irlanda: o país mais liberal da Europa que nos leva os enfermeiros e a geração mais bem preparada de sempre...

A principal prioridade do novo Governo de António Costa é tirar Portugal da cauda da Europa. Louvemos o primeiro-ministro. Contudo, é estranho que tendo sido ele próprio e o seu partido os principais responsáveis pelo falhanço económico do país, só agora se tenha dado conta das asneiras que fizeram. Mas, qualquer filho de Deus pode encontrar a sua Estrada de Damasco, ser atingido pela luz da verdade e arrepiar caminho. Mesmo os socialistas portugueses, muito superiores a Paulo de Tarso na perseguição aos criadores de riqueza e aos cidadãos que não trabalhem para o Estado, podem ser iluminados. Estranhos, misteriosos e desconcertantes são os caminhos do Senhor. 

Ele lá sabe…

Tão ambicioso objetivo esbarra, porém, numa citação atribuída a Einstein que, embora não seja dele, não deixa de ser verdadeira. A definição de loucura: repetir vezes sem conta o mesmo método e esperar resultados diferentes.

Homem inteligente, António Costa não irá certamente querer passar por insano. Porque, uma vez que foram os últimos vinte anos de governo socialista que empobreceram e atrasaram o país, não será decerto com esse estafado método de governo  que Portugal sairá da cauda da Europa. Em Portugal acontecem fenómenos sem explicação como os pepinos gigantes do Entroncamento, a reeleição de José Sócrates e a própria aparição da Virgem, mas até num país mirabolante os prodígios têm limites. Com mais Socialismo não vamos lá e o primeiro-ministro sabe-o.

Por isso, se Paulo de Tarso viu Jesus, António Costa viu o Liberalismo. E o Santo Ananias que o curou da cegueira foi a Irlanda - terra de fé católica, São Patrício e iluminuras. António Costa olhou para a Irlanda: o país mais liberal da Europa que nos leva os enfermeiros e a geração mais bem preparada de sempre. De país pobre, passa, a partir da crise financeira de 2008, a ser um dos países mais ricos da UE que atrai as melhores empresas do mundo e os emigrantes mais bem qualificados. A Irlanda atual tem um salário médio que é quase o triplo do português, está no segundo lugar do índice de desenvolvimento humano - combinação da saúde, do rendimento e da educação -, está no terceiro lugar no índice de rendimento per capita e no décimo lugar mundial no índice de Gini que mede as desigualdades sociais.  E tudo isto bebendo cerveja Guiness em vez de Super Bock, uma mixórdia que até mata os ratos chamada Irish Coffee, e não fazendo a menor ideia de como se cozinha seja lá o que for.

Ora, perante este milagre económico e esta boa nova social, o primeiro-ministro concluiu, tal como o seu pai espiritual, que chegara a altura de meter o Socialismo na gaveta. Nem todos ficarão convencidos, um novo Pedro recusar-se-á sentar-se com os gentios, haverá greves e protestos, alguns chiliques, mas a sua fé é inquebrantável.

Com a bênção do político mais pio desde Oliveira Salazar, Sua Excelência o Presidente da República, aguarda-se, pois, a Carta aos Coríntios portugueses que começará assim:

 «Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor ao Liberalismo, sou como um bronze que soa ou um címbalo que retine.»

João Cerqueira – Escritor, In Nascer do Sol 20.02.2022

Publicado em 2022-02-21

Notícias relacionadas

«O Estado Novo [ainda] não saiu de Portugal»

Mário Pinto, in Observador - 30 jul 2022

Se as valas comuns eram uma farsa, por que o Papa está pedindo desculpas no Canadá?

Francisco Vêneto - publicado em 26/07/22, in Aleteia

Abusos sexuais, estado de direito e “caça às bruxas”

Pedro Vaz Patto, Presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz

O Estado e o catecismo da religião do género

Senhor ministro da Educação, se não quer ficar na história como o Inquisidor da propaganda de género, desbloqueie este nó górdio por si criado pois tem no Parlamento uma maioria do seu partido.

“Finalmente encontrei um cristão de verdade!”

Isabel Ricardo Pereira, In 7Margens, 6.07.2022

"Direito constitucional" ao aborto?

Jorge Bacelar Gouveia

desenvolvido por aznegocios.pt