Gasolina:

o PS mente, o governo rouba, o povo paga

No programa Ideias Feitas, da Rádio Observador, Alberto Gonçalves, comenta as justificações do Governo de António Costa para o brutal aumento dos combustíveis que promete continuar todas as semanas.

“O Governo sobe o preço e depois acrescenta uma espécie de componente de gozo. Para além de aumentar os preços e colocar a gasolina e o gasóleo em valores absolutamente incomportáveis para os portugueses, estes parecem, em geral não se importarem com o gozo.

O facto é que neste momento Portugal tem um dos preços dos combustíveis mais altos de todo o mundo. E possivelmente terá o preço mais alto de todo o mundo se considerarmos o poder de compra dos portugueses.

Sob este critério os portugueses são os que fazem mais esforço para comprar um litro de gasóleo e o Governo, além de se divertir a amealhar o valor dos impostos, diverte-se a culpar as mais extravagantes coisas.

Houve uma altura em que a culpa era da Troika e do Passos Coelho. Nessa altura o PS estava na oposição e os preços eram terríveis, eram condenáveis. A partir do momento em que António Costa tomou o poder os aumentos continuaram a subir, mas aí começaram a ser explicados por sucessivas causas. Primeiro foram as taxas ambientais, depois culpou-se a Covid… agora culpa-se a guerra na Ucrânia: o aumento dos preços deve-se à guerra. A guerra começou há oito dias e os preços sobem desde Outubro.

Tudo espremido, a culpa do aumento é do PS. Se descontarmos os impostos que o Governo coloca em cima do preço dos combustíveis que são 60%... mas ontem o secretário de Estado dos Assuntos Fis­cais veio dizer que o Governo não está a ganhar dinheiro com os combustíveis… e que já abdicou de 38 milhões com as medidas que foram tomadas com o autovoucher para mitigar o impacto do aumento de preços. Isto desde que começou o au­tovoucher…há 4 meses.

Ora o Estado ganha 11 milhões por dia nos impostos dos combustíveis…e o Governo mente, rou­ba e o povo paga”.

Alberto Gonçalves, In Rádio Observador 09.03.2022

Publicado em 2022-03-14

Notícias relacionadas

"Direito constitucional" ao aborto?

Jorge Bacelar Gouveia

A palavra da violência

Armindo Vaz, OCD

Delito de opinião ou liberdade de expressão?

Ana Maria Ramalheira

O melhor seria

Dina Matos Ferreira | 21 Mai 2022

O direito ao aborto: objetivo principal acabar com a pró-vida

Emanuel do Carmo Oliveira

Uma liberdade libertada!

Vendo o que está a acontecer agora na Rússia, não posso estar mais grato a quem me deixou como herança esta Igreja liberta das garras da Política.

desenvolvido por aznegocios.pt