Gasolina:

o PS mente, o governo rouba, o povo paga

No programa Ideias Feitas, da Rádio Observador, Alberto Gonçalves, comenta as justificações do Governo de António Costa para o brutal aumento dos combustíveis que promete continuar todas as semanas.

“O Governo sobe o preço e depois acrescenta uma espécie de componente de gozo. Para além de aumentar os preços e colocar a gasolina e o gasóleo em valores absolutamente incomportáveis para os portugueses, estes parecem, em geral não se importarem com o gozo.

O facto é que neste momento Portugal tem um dos preços dos combustíveis mais altos de todo o mundo. E possivelmente terá o preço mais alto de todo o mundo se considerarmos o poder de compra dos portugueses.

Sob este critério os portugueses são os que fazem mais esforço para comprar um litro de gasóleo e o Governo, além de se divertir a amealhar o valor dos impostos, diverte-se a culpar as mais extravagantes coisas.

Houve uma altura em que a culpa era da Troika e do Passos Coelho. Nessa altura o PS estava na oposição e os preços eram terríveis, eram condenáveis. A partir do momento em que António Costa tomou o poder os aumentos continuaram a subir, mas aí começaram a ser explicados por sucessivas causas. Primeiro foram as taxas ambientais, depois culpou-se a Covid… agora culpa-se a guerra na Ucrânia: o aumento dos preços deve-se à guerra. A guerra começou há oito dias e os preços sobem desde Outubro.

Tudo espremido, a culpa do aumento é do PS. Se descontarmos os impostos que o Governo coloca em cima do preço dos combustíveis que são 60%... mas ontem o secretário de Estado dos Assuntos Fis­cais veio dizer que o Governo não está a ganhar dinheiro com os combustíveis… e que já abdicou de 38 milhões com as medidas que foram tomadas com o autovoucher para mitigar o impacto do aumento de preços. Isto desde que começou o au­tovoucher…há 4 meses.

Ora o Estado ganha 11 milhões por dia nos impostos dos combustíveis…e o Governo mente, rou­ba e o povo paga”.

Alberto Gonçalves, In Rádio Observador 09.03.2022

Publicado em 2022-03-14

Notícias relacionadas

«O Estado Novo [ainda] não saiu de Portugal»

Mário Pinto, in Observador - 30 jul 2022

Se as valas comuns eram uma farsa, por que o Papa está pedindo desculpas no Canadá?

Francisco Vêneto - publicado em 26/07/22, in Aleteia

Abusos sexuais, estado de direito e “caça às bruxas”

Pedro Vaz Patto, Presidente da Comissão Nacional Justiça e Paz

O Estado e o catecismo da religião do género

Senhor ministro da Educação, se não quer ficar na história como o Inquisidor da propaganda de género, desbloqueie este nó górdio por si criado pois tem no Parlamento uma maioria do seu partido.

“Finalmente encontrei um cristão de verdade!”

Isabel Ricardo Pereira, In 7Margens, 6.07.2022

"Direito constitucional" ao aborto?

Jorge Bacelar Gouveia

desenvolvido por aznegocios.pt